Receba novidades - cadastre seu E-MAIL

quarta-feira, 30 de abril de 2014

"Aprendendo com Contos e Fábulas"


Adquira o seu "Aprendendo com Contos e Fábulas"


Valor - 49,00 + postagem (envio pra qualquer lugar do Brasil)
Ivete Raffa - (11) 2694.9896

O livro - 144 páginas + CD com atividades de alfabetização e matemática + Moldes
- O que é um conto? O que é uma fábula? Como trabalhar com meus alunos?
- Histórias: A Bela e a Fera, Chapeuzinho Vermelho, Rapunzel e A Galinha Ruiva (além das histórias ilustradas ensino como fazer com seus alunos os personagens das histórias com EVA, massinhas, sucatas, papéis, colher de pau, bolinha de gude, TNT, etc.).
Você vai amar.
Bj
Ivete Raffa


terça-feira, 29 de abril de 2014

Festa Junina - Balão decorativo


Festa Junina - Balão decorativo - Programa "Note e Anote" - TV Record
Nova aula no youtube, clique no link abaixo da imagem:
https://www.youtube.com/watch?v=SLAjlQ30oFw&list=PLP51kaKU9PwcpuajaVdep55tt1vVGh6AN
Fácil de fazer e o resultado é ótimo. Deem uma olhada.
Bj
Ivete Raffa

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Datas Comemorativas - "Dia das Mães"

"Dia das Mães"


"Virgem com o menino" - 1504 - Sandro Botticelli

O Dia das Mães teve a sua origem no princípio do século XX, quando uma jovem norte-americana, Anna Jarvis, perdeu sua mãe e entrou em completa depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a ideia de perpetuar a memória da mãe de Annie com uma festa. Annie quis que a homenagem fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas. Em pouco tempo, a comemoração e consequentemente o Dia das Mães se alastrou por todos os Estados Unidos e, em 1914, sua data foi oficializada pelo presidente Woodrow Wilson: dia 9 de Maio.
Dados Históricos: A mais antiga comemoração dos dias das mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses.

"Mãe e filho" - 1905 - Gustav Klimt 

O próximo registro está no início do século XVII, quando a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia, as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães. Era chamado de "Mothering Day", fato que deu origem ao "mothering cake", um bolo para as mães que tornaria o dia ainda mais festivo.
Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães foi dada em 1872 pela escritora Júlia Ward Howe, autora de O Hino de Batalha da República.

No Brasil, o primeiro Dia das Mães brasileiro foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Em 1932, o então presidente Getúlio Vargas oficializou a data no segundo domingo de maio. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica.

"Mãe e filho" - 2005 - Romero Britto

Alguns países onde as datas para o Dia das Mães são definidos:
a)    Israel - O dia da mãe deixou de ser celebrado, passando a existir o dia da família em Fevereiro.
b)    Noruega - Fevereiro
c)   Geórgia, Albânia, Rússia, Sérvia, Montenegro, Bulgária, Romênia, Egito, Síria, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos - Março
d)    Grécia - Abril
e)    Primeiro domingo – Portugal, Lituânia, Hungria, Cabo Verde, Espanha, Moçambique e Angola - Maio
f)  Brasil, África do Sul. Austrália, Bélgica, China, Dinamarca, Alemanha, Estônia, Finlândia, Grécia, Itália, Japão, Canadá, Nova Zelândia, Áustria, Peru, Suíça, Turquia, EUA, Venezuela - Segundo domingo de Maio.
g)    França e Suécia - Último domingo de Maio.
h)    Tailândia, Bélgica e Costa Rica - Agosto
i)      Argentina e Índia - Outubro
j)      Panamá - Dezembro

Atividades:
Confeccionar cartões, cestinhas, porta trecos, caixinhas com diferentes materiais e técnicas.

Objetivos:
a) Conhecer a história do início das comemorações do Dia das Mães e as datas que alguns países comemoram.
b) Realizar atividades práticas para comemorar o Dia das Mães enaltecendo e refletindo sobre os valores que a data sugere.

Atividade 01 – Cartão para a mamãe


Material: Big Canetas Hidrográficas (Acrilex), Cola branca, cartolina, régua e tesoura.

Modo de fazer:
a) Pinte a cartolina com as Big Canetas Hidrográficas (várias cores) da Acrilex.
b) Corte um retângulo na cartolina branca medindo 20 x 8 cm. Dobre ao meio.
c) Com a cartolina pintada com as Big Canetas Hidrográficas faça a decoração do cartão para a mamãe.
d) Na parte interna do cartão escreva uma mensagem bem bonita, junte à cestinha com bombons e presenteie a mamãe.

Atividade 02 – Cestinha porta balas




Material: Big Canetas Hidrográficas da Acrilex, Cola branca Acrilex, cartolina, régua e tesoura.

Modo de fazer:
a)  Pinte a cartolina com as Big Canetas Hidrográficas (várias cores).
b) Risque 9 quadrados do mesmo tamanho conforme mostra a foto. Exemplo 5x5 cm.
c)  Arredonde os quatro cantos do quadrado formado pelos nove quadrados menores.
d) Faça quatro cortes conforme a foto. Dobre para formar a cestinha.
e) Cole as partes. Corte uma tira com dois centímetros de largura e cole fazendo a alça, unindo os dois lados da cestinha.
f) Coloque balas ou bombons e dê de presente para a mamãe.






 Atividade 03 – Porta trecos com tinta vitral

Material: Primer Acrilex, Tinta Vitral da Acrilex, garrafas PET, tesoura, balde plástico, saquinho plástico, palito de churrasco e água.


Modo de fazer Porta trecos 01:
a) Coloque um saquinho plástico dentro de um balde.
b) Coloque a água dentro do saquinho.
c) Jogue algumas gotas de Tinta Vitral de uma cor e outras gotas de outra cor. Misture levemente com um palito de churrasco.
d) Mergulhe a garrafa (parte inferior) na água com a Tinta Vitral e retire.
e) Espere secar bem.
f) Corte deixando a base da garrafa e cinco partes, que ao se dobrarem, formará o porta trecos.


Modo de fazer Porta trecos 02:
a) Passe duas demãos de Primer na garrafa PET e deixe secar.
b) Coloque um saquinho plástico dentro de um balde.
c) Coloque a água dentro do saquinho.
d) Jogue algumas gotas de Tinta Vitral de uma cor e outras gotas de outra cor. Misture levemente com um palito de churrasco.
e) Mergulhe a garrafa (parte inferior) na água com a Tinta Vitral e retire.
f) Espere secar bem.
g) Corte deixando a base da garrafa e cinco partes, que ao se dobrarem, formará o porta trecos.



Atividade 04 – Caixinhas de madeira com textura criativa e pérolas


Material: Base Branca Acrílica para Artesanato, Tinta para Artesanato PVA, Textura Criativa, pincel, caixinha de madeira, pérolas e espátula.

Modo de fazer:
a) Passe uma demão de Base Branca Acrílica para Artesanato na caixinha de madeira.
b) Coloque sobre a tampa da caixinha uma porção de Textura Criativa. Espalhe com a espátula.
c) Coloque as pérolas sobre a textura formando um desenho. Faça isso enquanto a textura ainda estiver molhada.
d) Pinte a parte inferior da caixinha com a Tinta Acrílica para Artesanato PVA da cor que quiser.
e) Coloque uma linda bijuteria dentro da caixinha e presenteie a mamãe. 

Conteúdos trabalhados:
-  Datas Comemorativas – História do Dia das Mães
-  Valores.
-  Linhas, formas, cores, sobreposição, composição, proporção, textura, harmonia.

Técnicas trabalhadas:
- Recorte e colagem (Atividade 01)
- Pintura chapada (Atividade 01 e 02)
- Pintura surpresa (Atividade 03)
- Pintura chapada e Modelagem (Atividade 04)

Possibilidades de trabalho:
- Pergunte aos seus alunos o que eles sabem sobre o dia das Mães e quem ocupa esse papel em suas vidas.
- Fale sobre o Dia das Mães e sua História.
- Fale sobre os valores que essa data traz à tona.
- Mostre imagens que retratem situações de mulheres no papel de mãe.
a Páscoa e sobre os símbolos que a data sugere.
- A partir de todo o estudo sobre o tema, os alunos estarão prontos para confeccionar cartões e lembrancinhas para presentear aquela que ocupa o papel de mãe nas suas vidas.
Nota: É importante que não tenha um “modelo” exposto para que o aluno copie. Deixe que seu aluno decore do seu próprio jeito.

Observação: Para saber sobre as demais Datas Comemorativas consulte os livros “Comemorando e Aprendendo” I, II, III e IV de Ivete Raffa – Editora Rideel.

 Dicas:
1   - Ao utilizar a Big Caneta Hidrográfica preste atenção na inclinação de sua mão, se a mão estiver perpendicular à base, os traços sairão bem fininhos. À medida que se vai inclinando a mão em direção ao próprio corpo, os traços vão ficando mais grossos.
    - Para que fique mais resistente a pintura com as canetinhas hidrográficas, espirre Verniz Crystal sobre o cartão ou a cestinha.
      -  Textura criativa – coloque uma quantidade de Textura Criativa sobre a tampinha e espalhe, se achar que a camada ficou muito fina e não fixará as pérolas, coloque mais e espalhe novamente.
-     -  Ao acabar de espalhar a textura, lave a espátula imediatamente.
      - Caso a Tinta Vitral suje o balde ou as mãos, limpe com removedor de tintas.

      Obs: Plano de Aula postado no site da Acrilex - www.acrilex.com.br - link "Educadores" - Edição 06 

Ivete Raffa
Arte educadora e pedagoga






segunda-feira, 21 de abril de 2014

Obras de Arte - Romero Britto

Obras de arte – Romero Britto

"Coração"

Romero Britto nasceu no Recife em outubro de 1963. É pintor e escultor.
Romero é conhecido como artista pop brasileiro, sendo radicado em Miami. Suas obras caíram no gosto das celebridades por sua alegria e colorido, tendo sido alçado para a fama ao realizar a ilustração de uma campanha publicitária para a vodca Absolut. Começou no mundo do "grafite" e hoje é o artista preferido de vários atores e atrizes hollywoodianos.

"Festa"

Aos oito anos começou a mostrar interesse e talento pelas artes. Com muita imaginação e criatividade, pintava em sucatas, papelão e jornal. Sua família o ajudava a desenvolver seu talento natural, dando-lhe livros de arte para estudar.

"Carmem Miranda"

Aos 14 anos fez sua primeira exibição pública e vendeu seu primeiro quadro à Organização dos Estados Americanos. Embora encorajado por este sucesso precoce, as circunstâncias modestas de sua vida o motivaram a estabelecer metas e a criar seu próprio futuro: "Na condição de criança pobre no Brasil, tive contato com o lado mais sombrio da humanidade. Como resultado, passei a pintar para trazer luz e cor para minha vida”.

"Cores do Brasil"

Frequentou escolas públicas, recebeu bolsa de estudos para uma escola preparatória e, aos 17 anos, entrou na Universidade Católica de Pernambuco, no curso de Direito. Viajou para a Europa para visitar lugares novos e ver a arte que só conhecia nos livros.

Na maioria das obras de Romero Britto, ele usa textura gráfica e, geralmente, elas tratam de assuntos importantes para o dia-a-dia. Suas obras, na maioria das vezes, não são exatamente iguais à realidade, pois apresentam linhas, pontos, divisões e fragmentos de sua assinatura (em grande parte das obras).
Atualmente, Romero mora nos Estados Unidos da América, e é casado com a estadunidense Sharon, com quem tem um filho.

Atividade: Pintura inspirada nas obras de Romero Britto.


Objetivos:

a) Conhecer a vida e as obras de Romero Britto, as características dos seus desenhos, as cores utilizadas, as texturas, contornos e temas pintados.
b) Fazer a leitura formal e interpretativa de uma obra do artista.
c) Criar o próprio desenho e pintar com as características das obras de Romero Britto.

Sugestão 01 - Pintura em caixinha de madeira



Material: Caixinha de madeira, Base Acrílica para Artesanato branca Acrilex, pincel, lápis preto, Tinta PVA várias cores, Tinta Dimensional (preta) e Crystal Cola (várias cores) ou Canetas Permanentes de várias cores (Acrilex).

Modo de fazer:
a) Passe uma demão de Base Acrílica para Artesanato branca em toda a caixinha e deixe secar.
b) Crie um desenho, risque sobre a tampa da caixinha.
c) Pinte com a Tinta PVA, cada pedaço com uma cor. Espere secar.
d) Faça os contornos com a Tinta Dimensional preta.
e) Faça as texturas com Crystal Cola (Acrilex).


Sugestão 02 - Pintura em tampa de pizza



Material: Tampa de pizza, lápis preto, Tinta Guache ou Acrílica, pincéis, Tinta Dimensional preta e Crystal cola (várias cores) ou Canetas Permanentes de várias cores (Acrilex).

Modo de fazer:
a) Crie um desenho, risque sobre a tampa de pizza.
b) Pinte com a Tinta Guache ou Acrílica, cada pedaço com uma cor. Espere secar.
c) Faça os contornos com a Tinta Dimensional preta.
d) Faça as texturas com Crystal Cola (Acrilex).


Sugestão 03 - Pintura em tela


Material: Tela,Tinta Acrylic Colors, pincéis, Tinta Dimensional preta e Crystal Cola (várias cores) ou Canetas Permanentes de várias cores (Acrilex).
Modo de fazer:
a) Crie um desenho, risque sobre a tela.
b) Pinte com a Tinta Acrylic Colors, cada pedaço com uma cor. Espere secar.
c) Faça os contornos com a Tinta Dimensional preta.
d) Faça as texturas com Crystal Cola (Acrilex).


Conteúdos trabalhados:
- Leitura formal, interpretativa, releitura, vida e obras de Romero Britto.
- Linhas, formas, mistura de cores, sobreposição, composição, proporção, harmonia, textura e planos.


Técnicas trabalhadas:
- Pintura chapada com texturas em diferentes bases.


Possibilidades de trabalho:
- Inicialmente apresente aos alunos as obras de Romero Britto e, juntos, escolham uma delas.
- Escolhida a obra, façam a leitura formal (linhas, formas, planos, cores, formas, etc).
- No segundo momento faça a leitura interpretativa da obra: O que vejo na obra?, O que está representando, O que me lembra? Qual a mensagem que o artista queria passar? etc.
- Fale sobre o artista Romero Britto, seu estilo, as cores usadas nas obras, os temas que ele aborda, as técnicas, o cubismo, etc.
- Explore os sentimentos que aparecem na obra escolhida, faça uma reflexão sobre os seus próprios sentimentos, crie o seu desenho e pinte com as características do artista.
- Faça uma roda de conversa onde cada criança mostrará sua criação e contará o que aprendeu com o desenvolvimento da atividade, como foi o processo de criação e quais os novos conteúdos aprendidos e quais os relembrados.

    
Dicas: 
1. Limpe sempre o pincel ao trocar a cor da tinta.
2. Utilize quantas cores desejar.
3. Antes de iniciar os contornos, teste em outro local para se acostumar ao trabalho.
4. Ao contornar a partes do desenho com a Tinta Dimensional preta, apoie o cotovelo para facilitar o trabalho.
5. Faça as texturas com a Crystal Cola, bolinhas, linhas, pontos, mini formas geométricas, etc. 

Observação - Plano de Aula postado no site da Acrilex - www.acrilex.com.br - link "Educadores" - Edição 01

Ivete Raffa
Arte Educadora e Pedagoga


A importância da contextualização numa atividade artística

A importância da contextualização numa atividade artística


A arte nos dias atuais vem se destacando de maneira significativa. Copiar o que já existe ficou pra trás, hoje é valorizada toda forma de expressão que seja inédita, criativa, diferente.

O professor de Artes desempenha papel fundamental nessa nova busca artística, sendo assim, é necessário que ele:
a)    Conheça bem os conteúdos artísticos que serão abordados junto aos alunos e busque sempre diferentes maneiras de ensinar cada uma das linguagens artísticas.
b)    Tenha conhecimento artístico que possibilite identificar o momento que cada aluno está vivenciando em seu percurso criativo para fazer as intervenções necessárias que permitam a ampliação de repertório.
c)    Seja construtor de conhecimentos, semeador de ideias e práticas que resultem na aprendizagem artística significativa dos seus alunos.
d)    Consiga valorizar o potencial criativo dos estudantes.
e)    Saiba perceber, compreender e avaliar as ideias que os alunos transmitem nas diferentes linguagens artísticas.
f)     Incentive os estudantes na sua formação cultural para que possam perceber-se como sujeitos participantes do mundo.
g)    Mostre a importância de entender que a arte tem conteúdos e objetivos próprios e que na educação atual não há lugar para se fazer “qualquer coisa” ou para “copiar”.


Muitos professores trabalham nas aulas de Artes com atividades improvisadas para os seus alunos de forma que ao realizá-las, eles não refletem sobre o assunto, não percebem o que podem aprender, não criam nada novo, enfim, perdem a oportunidade de ampliar seu repertório artístico.

O professor comprometido com a linguagem da arte e com seus alunos permite e conduz os que estão sob sua responsabilidade a:
a)    Conhecerem via obras de arte, como vivem e convivem outros povos, os gêneros artísticos, as etnias, as religiões etc.
b)    Aprenderem mais sobre a tolerância, respeito e diálogo com o diferente nas diversas leituras de mundo que os trabalhos de arte trazem.
c)    Aprenderem a história não só da arte, mas a história como um todo.



Contextualizar é problematizar. É uma forma de abordar o conteúdo ou mesmo situar tal fato no tempo e no espaço do universo em que está envolvido, portanto é de suma importância que os alunos ao trabalharem um tema busquem referências históricas que “clareiem” o entendimento daquele assunto, que pesquisem, que troquem informações e, a partir desse conhecimento e entendimento, produzam a sua própria arte.

Se as atividades acontecerem sem que haja conhecimento e debate prévio, os resultados serão bem inferiores do que poderiam ser atingidos, inclusive com menos criatividade. Quando o assunto é bem trabalhado os resultados são maravilhosos e bem diferentes uns dos outros pois cada um tem seu traço, cada um tem suas cores preferidas, cada um se expressa de forma própria e isso que faz com que a disciplina “Artes” tenha resultados inéditos.


Exemplo 01 - “Abaporu” de Tarsila do Amaral (atividade solta)
a)    A professora mostra a obra aos alunos e pede que falem o que veem.
b)    Fala sobre a vida da artista.
c)    Pede aos alunos que olhem a obra e refaçam sobre tela, papel, madeira ou outro material.

  

Exemplo 02“Abaporu” de Tarsila do Amaral (atividade contextualizada)
a)    A professora pede aos alunos que pesquisem quem foi Tarsila do Amaral, em que época ela viveu e o que acontecia no mundo daquela época (Modernismo), como eram suas obras, suas fases artísticas, as cores que ela usava, as linhas, enfim, que tragam o máximo de informações.
b)    Faz uma roda de conversa onde cada criança fala um pouquinho sobre o que foi pesquisado.
c)    Propõe que escrevam um texto coletivo sobre a artista e suas obras.
d)    A professora mostra a obra “Abaporu” para os alunos e pede que falem o que vêem.
e)    Faz com as crianças a leitura formal: Que cores vemos? Quais as linhas que aparecem na obra? As formas? Existe perspectiva? Texturas? Quais os elementos que aparecem na obra?, etc.
f)     Faz a leitura interpretativa: O que essa obra me diz? Que mensagem ela está representando? Como era o Brasil e o mundo na época que a obra foi realizada? Qual a intenção de Tarsila representar a cabeça do homem tão pequena e os pés tão grandes?
Obs: Nesse momento os alunos já conhecem Tarsila, suas obras, o momento histórico que ela viveu e o que a obra Abaporu representa.
g)    Peça aos alunos que se apropriem da obra e criem sua própria obra:
- Representem uma parte dela (zoom).
- Representem a obra trazendo-a para os dias atuais, inserindo outros elementos.
- Juntem a obra com outra obra da Tarsila ou de outro artista que represente o mesmo tema.
- Represente a obra mudando os elementos de lugar.
- Represente-a com diferentes técnicas,  materiais e bases.
- Represente-a de forma tridimensional, etc.
     h) Promova uma exposição dos trabalhos dos alunos e peça que falem o que aprenderam com esse tema.


Ivete Raffa
Arte educadora e pedagoga